AGRONEGÓCIO: TERRA MAGNA INOVA COM MONITORAMENTO VIA SATÉLITE

Postado por Sylvio Pélico Leitão Filho 17/09/2019 16:58:16 Agricultura
Agrotech usa IA e Big Data para mitigar riscos em operações de crédito rural, oferecendo mais segurança ao agronegócio com acompanhamento em tempo real da safra do plantio à colheita

Criada por jovens empreendedores brasileiros, a TerraMagna inova no mercado de crédito rural, mitigando riscos e trazendo mais segurança para os financiadores do agronegócio, do pré-financiamento à colheita.  Tudo isso, por meio de tecnologias de monitoramento de penhor agrícola, que inclui o uso até de satélites SAR, capazes de realizar leituras das áreas de lavoura mesmo em dias nublados.

Pioneira, a agrotech brasileira desenvolveu uma infraestrutura computacional, totalmente em nuvem, que usa Inteligência Artificial e Big Data para processar terabytes de imagens de satélite todos os dias.

“Monitoramos mais de 10 mil fazendas semanalmente, que correspondem a mais de 5 bilhões em penhor agrícola", afirma João Paulo Torres, fundador e CEO da TerraMagna. O Brasil tem hoje quase 65 milhões de hectares utilizados como lavouras ou 7,6% do território brasileiro, de acordo com um levantamento Nasa, divulgado pela Embrapa. "Queremos estimular um volume cada vez maior de negócios no mercado agro a partir de nossa solução, que mitiga riscos na atividade agrícola. Incentivando agroindústrias, tradings, revendedoras de insumo e cooperativas de crédito e ajudando assim a tornar o agronegócio mais seguro, previsível e lucrativo”, afirma Torres.

O monitoramento do penhor agrícola é comumente feito com visitas esporádicas ao agricultor e a plantação, o que pode causar sensação de incômodo ao produtor. De forma remota não há essa sensação, além de ser muito mais eficiente e verdadeiro, já que possibilita acompanhamento da área total. “O agronegócio é um dos setores mais importantes para o país, muitos profissionais atuam no campo e para o campo. Na contramão, é um setor jovem quando nos referimos ao uso de tecnologia”, avalia Bernardo Fabiani, cofundador e CTO da TerraMagna.

Em um cenário de aumento da inadimplência dos financiamentos no agronegócio, o monitoramento da TerraMagna oferece vantagens para toda a cadeia agrícola. Por meio de sistema próprio de processamento de dados de satélite, a startup realiza o monitoramento de lavouras empenhadas como colateral agrícola em financiamentos.

Para isso, recebe o descritivo das operações de concessão de crédito, bem como a matrícula das áreas fornecidas como garantia e, por meio de acompanhamento constante ao longo da safra, evita fraudes como ausência de plantio ou desvio do grão. Dessa forma, caso haja dificuldade de pagamento o credor executa o colateral levando a colheita à venda. Ativos de crédito são considerados mais seguros quando têm colaterais financeiros.

“Garantindo a existência do penhor agrícola, ou seja, da lavoura empenhada como colateral na operação, os financiadores têm certeza de que receberão ao final da safra. O impacto para a economia do País é muito positivo”, explica Fabiani. Com a tecnologia da TerraMagna, o agricultor pode ter acesso a um financiamento maior e com taxas de juros mais baixas, já que há mais confiança por parte das revendedoras e tradings. 

Sobre a TerraMagna

Atuando desde 2016 no mercado a TerraMagna é uma agrotech brasileira que atua na mitigação de riscos do agronegócio. Estão a frente da operação Bernardo Fabiani (CTO), João Paulo Torres (CEO) e Rodrigo Marques (CIO), engenheiros que perceberam a necessidade das empresas concessionárias de crédito agrícola por um monitoramento inovador e tecnológico, com o intuito de trazer mais segurança aos financiamentos. Por meio de um sistema de satélites e inteligência artificial, o serviço faz a gestão de colateral agrícola no agronegócio e elimina a inadimplência em operações a prazo safra.

Mais informações:

larissa.fernandes@nr-7comunicacao.com.br

 

Comentários

Nenhum comentário ainda foi feito, que tal ser o primeiro?




Noticiário Geral