SENEPOL:QUALIDADES RACIAIS FAVORECEM O INVESTIMENTO E A SUA UTILIZAÇÃO

Postado por SYLVIO PÉLICO LEITÃO FILHO 28/03/2013 15:33:00 Pecuária
"“Com o crescimento da raça no Brasil, temos percebido um aumento dos criadores e uma procura por acompanhamento e registro do Senepol"

Do cruzamento das raças N’Dama e Red Poll surgiu o Senepol. Conhecido pela sua força diante do cruzamento industrial, a raça recebeu, ao longo do tempo, características que fizeram dos bovinos Senepol estratégia para a produção de carne nos diferentes sistemas produtivos.

Totalmente adaptado ao Brasil, a raça faz do País o seu maior celeiro de produção. As condições climáticas, geográficas e ambientais são perfeitas para o desenvolvimento do Senepol. Além do taurino se diferenciar como solução forte para o cruzamento industrial, ele realmente acompanha a vacada a campo, característica que corresponde ao sistema de manejo mais utilizado em terras brasileiras.

As qualidades raciais favorecem o investimento e a utilização do Senepol. As altas taxas de prenhez, desmama mais “pesada” e uniformidade geram animais muito produtivos, com machos muito mais precoces e fêmeas mais férteis. Quando abatidos, a produção da carcaça e das peças é padronizada.

Em franco crescimento e se expandindo para novas fronteiras, o Senepol tem uma participação importante na pecuária de corte. O cruzamento com a raça mãe Nelore favorece características positivas na qualidade da carne, oferecendo ao mercado todos os fatores que a pecuária moderna exige. A ABCB Senepol tem como responsabilidade técnica avaliar criteriosamente esses animais, para que se enquadrem no perfil modelo da raça.

Crescimento consistente

Preocupada com o aumento dos criadores e com a expansão do gado vermelho, a Associação vem trabalhando para aprimorar a certificação do Senepol através dos registros genealógicos, e assim vai traçar o perfil da raça e garantir o padrão de produção desses animais. Uma ação de identidade e de alinhamento racial. Se a cultura individualiza os povos, o registro genealógico singulariza as raças.

Devido a essa expansão, a ABCB Senepol realizou, nos dias 20 e 21 de março, em Uberlândia (MG), o 1º Curso Intensivo de Capacitação Técnica da Raça Senepol. Seu objetivo foi capacitar e avaliar profissionais das ciências agrárias para os formar técnicos do Serviço de Registro Genealógico da Associação. Foram oito novos participantes inscritos, que já dispunham de conhecimento elevado com gado de corte, em várias regiões do país.

 “Estamos necessitando de novos técnicos, já que a demanda de serviço é muito grande. Esse curso é uma das etapas de preparação para futuros credenciamentos dos técnicos. O objetivo é fazer com que atuem eficientemente nas suas respectivas regiões e, assim, “diluam” a concentração de registro”, avalia Celso Menezes, zootecnista e superintendente do SRG Senepol.

Durante os dois dias de curso, o trabalho foi dividido em aulas teóricas e práticas. Em sala, foi apresentada a história da raça, principais características fisiológicas, conceitos e normas que devem ser utilizados para concessão de registros definitivos.  Já no campo, eles puderam identificar e registrar os animais. Todo o trabalho foi fechado com uma avaliação, que apontou a capacidade dos técnicos para ingressar na próxima etapa: o estágio.

Gilmar Goudard, presidente da ABCB Senepol, esclarece que o curso não credencia automaticamente o participante a ser técnico da associação. “O curso deixa o futuro técnico apto para participar da avaliação e do processo de estágio. Posteriormente, o superintendente técnico e a diretoria da ABCB é que vão credenciar os participantes a fazer parte do time técnico encaminhado junto ao MAPA”, acrescenta.

Além da preparação dos novos técnicos, a ABCB Senepol contou com a participação do corpo técnico já existente. Gilmar conta que os técnicos já cadastrados estão se alinhando de forma mais coerente junto aos novatos, nos procedimentos únicos na avaliação dos animais. “A importância disso é a seriedade com que a diretoria da ABCB está tendo com os conceitos, qualidades e garantias na padronização da raça” ressalta. 

Dulcimar Menezes, superintendente substituto do SRG Senepol, concorda que os novos técnicos vão precisar de mais treinamento, mas, junto aos técnicos experientes, vão conhecer em campo o Senepol. “Depois do curso, é preciso que os novatos se juntem por um período ao corpo técnico, pois é importante o treinamento conjunto, como maneira de repassar experiência de campo em termos de registro e de seleção desses animais”, pondera.

Os futuros técnicos vão atender às regiões do Vale do Paraíba, com abrangência dos Estados do Rio de Janeiro e de São Paulo, além de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Esse foi um dos critérios utilizados na seleção dos alunos, já que a diversidade geográfica era um fator complicador no registro de animais, sendo difícil acompanhar as novas áreas abrangidas pela raça. O curso foi uma ferramenta usada pela ABCB Senepol para dar suporte aos novos associados dentro desse processo de expansão.

Celso acrescenta ainda que o curso foi proveitoso e que a turma teve um desempenho muito produtivo, sinal de que a parte teórica correspondeu exatamente aos cuidados que a prática exige. “Nós vimos todas as categorias de registro da raça Senepol, fizemos a parte de captação dos animais, da apartação, e assim houve a seleção dos técnicos classificados para o registro. Justificamos e apontamos as características de classificação e desclassificação. De modo geral, os profissionais foram eficientes. Assim que forem aprovados, já vão para a fase do estágio no campo”, finaliza. 

Gente que vê o crescimento do Senepol

“Com o crescimento da raça no Brasil, temos percebido um aumento dos criadores e uma procura por acompanhamento e registro do Senepol. A minha empresa resolveu atender novamente à raça, por isso estou fazendo a reciclagem do curso. Desde então, vejo que mudou muito o sistema de registro. Hoje temos um manual para acompanhar, a seriedade com que o conselho tem levado as técnicas e a implantação de critérios bem definidos foi o que mais me chamou atenção no treinamento.”

Emerson Guimarães de Moraes, zootecnista e consultor.

“O Brasil passa por um momento de competitividade do setor, e isso faz com que o produtor intensifique cada vez mais a produtividade. Isso exige profissionalização. Acredito que podemos aumentar a produção escolhendo melhor os animais e a genética. Nós criamos Senepol também e existe uma defasagem de técnicos no campo porque a raça tem um crescimento muito grande. É importante que as pessoas se preparem como futuros técnicos. e até as pessoas que não vão atuar com a raça é importante ter o conhecimento do que é o Senepol. É importante ressaltar a parte prática, com avaliação dos vários graus de sangue, tudo isso é importante para a vivência de campo.”

Diego Luiz Matias, médico veterinário.

“Eu dou assistência ao Itamar Neto e ele me convidou dizendo que a Associação estava precisando de novos técnicos para a nossa região, assim  pôs à disposição o curso. Nós aceitamos de bom agrado e até agradecemos, pois foi bem interessante sabermos que há uma associação voltada para definir um padrão racial. Estamos adquirindo conhecimento técnico para selecionar os animais na propriedade e trabalhar em cima dos padrões que a associação requer. Para isso, é importante termos conhecimento técnico para usar beneficio da raça. Foi um curso importante, bem prático e didático. A associação está de parabéns, pois colocou, de uma forma transparente e acessível, o conteúdo, além de disponibilizar um programa online que facilita os registros em campo.”

Luiz Antônio Anacleto Brasil, médico veterinário, atua com assessoria e consultoria técnica em bovinocultura.

Mais Informações:

Gabriela Oliveira

Berrante Comunicação
berrantec@gmail.com

(34) 9141-7986

(34) 3210-4050

Comentários

Nenhum comentário ainda foi feito, que tal ser o primeiro?




Noticiário Geral